“Fora PT” é o sentimento dominante em São Paulo. O caráter de Marina.

 

Esta é uma eleição singular.  Apesar de contar com dois concorrentes naturais à presidência como em todas as disputas desde 1994, representando, um o partido no governo  (PSDB ou PT), outro o maior partido na oposição (PT ou PSDB), teoricamente apenas os dois com reais condições eleitorais, nesse ano de 2014 existe um fato novo, que não se colocava em nenhuma dessas eleições anteriores:  a intenção de voto mais forte, mais presente, não é favor desse ou daquele. É um sentimento contra o partido no poder, contra o PT, a vontade de mudar.  E, diferentemente, do que se verificou em outros processos eleitorais, não é só uma disposição: é raiva mesmo contra o PT.  Não só as pesquisas identificam a enorme vontade de mudar – cerca de 70% do eleitorado, mas a constatação pessoal, pelo menos no Estado de São Paulo, confirma esse quadro. “Fora PT” é a dominante.  Pude verificá-lo durante a campanha e, particularmente, hoje na presença de nossos candidatos na cidade de Santos.

Essa é a minha primeira observação sobre o andamento da disputa.  A segunda é que, para o eleitor, até agora, só existem dois candidatos:  Dilma, candidata a reeleição, e Marina Silva, que se apresenta como oposicionista capitalizando o sentimento que observamos.  Aécio Neves ainda não é protagonista desse enredo.  Não é suficientemente conhecido do eleitor comum.  É por isso que os resultados de pesquisas só poderiam apresentar o resultado divulgado.

Porém esse é o início do processo eleitoral, que deu a largada não quando os candidatos eram Dilma, Aécio e Eduardo.  Zerado o quadro quando da morte de Eduardo, a disputa se inicia com a substituição do falecido por Marina.  Como Aécio é pouco conhecido, sobraram, de fato os dois: Dilma e Marina.   Mas como o tempo que se tem pela frente, ainda que pareça pequeno, é longo numa disputa como essa – uma eternidade – tudo pode acontecer. 

Porque Marina passou a representar essa vontade de mudar?  Em primeiro lugar porque só ela, no consciente do eleitor –  se colocando na  oposição – disputa contra o PT.  Em segundo lugar porque é sobejamente conhecida desde a disputa de 2010.  Em terceiro lugar porque porta uma aura de santidade bem construída em cima do seu perfil diferenciado.

A segunda etapa, reta final da disputa, quando se decidirá quem vai para segundo turno, se iniciará com a relativa igualdade de conhecimento dos candidatos por parte do eleitor. .  A partir daí será mais efetiva e definitiva a sua escolha.  Marina, como Aécio, viverá a hora da verdade

A personalidade e o caráter de Marina

Alguns dizem que ela acredita piamente no que diz.  Tenho minhas dúvidas.  Se assim fosse não deixaria de apoiar, sem restrições, uma legislação que criminaliza a homofobia que é uma forma de discriminação tão odiosa como qualquer outra.  Foi e voltou atrás.  Voltar atrás não é demérito de ninguém.  Mas no caso dela mais parece um aceno para as religiões evangélicas que, aliás, estão montando um grande reunião  das igrejas evangélicas para “fecharem” uma unanimidade em torno dela.  Não é a “velha política”, é pior.

Nada tenho contra votar em alguém que professa uma determinada fé.  Tenho, sim, objeção ao fato de se votar ou deixar de votar em alguém pelo fato de professar uma determinada religião.  Não adianta dizer apenas que o Estado é laico.  Ele o é por determinação constitucional.  Tergiversar sobre isso por conveniência eleitoral é fraqueza de caráter.

Marina precisa, para ser coerente, rejeitar uma adesão do tipo que se pretende das igrejas evangélicas.  Isso contraria o cerne de um Estado que se pretende laico.  Assim seria coerente com o que diz pretender: uma “nova política”.

You may also like

7 comments

  • JCM 4 setembro, 2014   Reply →

    Caro governador !
    Se a dificuldade do Aécio é ser pouco conhecido ,em Minas Gerais ele é conhecidíssimo,por que o candidato do PT lidera as pesquisas
    para governador?Para o senado o ex governador está indo bem e,o próprio Aécio está com dificuldades com a Marina no seu estado.Está tudo muito confuso,ou será incoerência do eleitor?Quanto ao PSDB,ainda acho que continua muito light com relação ao PT.Ainda não encontrou o ponto certo para atingir o eleitor.
    Abç.

    • tunico 5 setembro, 2014   Reply →

      Não sou expert mas também acho que o PSDB deve bater mais forte no PT. Esse é o foco, tirar o PT do poder. Temos que admitir que queiramos ou não, Marina é o vetor mais correto hoje para colocar o PT na oposição de onde nunca deveria ter saído. Aécio deve se concentrar em reverter sua situação delicada em MG pois perder para Pimentel seria uma humilhação dada a sua popularidade e reconhecimento naquele estado. As pesquisas embora retrato de momento, indicam que os eleitores estão votando em pessoas, não em partidos.É uma pena pois quem perde com isso é a democracia representativa.

  • Alfredo 4 setembro, 2014   Reply →

    Goldman, uma coisa que, ao que parece, todos os politicos querem desconsiderar, seja por medo ou por não conseguir compreender, são os sinais que foram estampados nas mainfestações de junho/2013.

    O movimento começou apenas para reclamar o “passe-livre” e acabou e transformando em uma coisa muito maior, uma quase exigência popular de mudanças no sistema politico brasileiro. Mas as manifestações deixaram evidente que NÃO QUERIAM, naquele movimento, a participação de partidos seja de direita, de esquerda ou de centro.

    Pois é Goldman, então, o que faltou foi os dirigentes partidários pensarem por pelo menos um segundo e tentarem entender o que está contido nesse sinal, claro, evidente. E não há dúvidas de que a população brasileira não consegue mais ver os partidos como intermediarios da representação. De fato, os partidos deixaram a muito tempo de praticar a representação até mesmo dos próprios filiados. Estes não passam de um suporte, massa de manobra, cuja unica finalidade [ alem de pagar, em alguns casos, as contribuições ] é a de votar em quem o partido indica sem nem ao menos ouvir esses filiados.

    Como é que alguem consegue ver alguma possibilidade de se praticar a democracia representativa SEM a efetiva representação ? E isso com partidos que apenas se lembram de eleitores e filiados, exclusivamente nas eleições !!!

    Goldman, o que estamos vendo agora é o resultado disso, dessa realidade. A Marina Silva, tem esse apelo popular porque conseguiu se desatrelar de partidos. Ela não é vista como do PSB, a Rede ainda não foi instalada e ela vem dizendo exatamente isso, que nos partidos, todos, há PESSOAS boas. Com isso ela diz, claramente, que os partidos não são bons, apenas têm ALGUMAS pessoas boas. E [os partidos] não são bons porque não cumprem os seus propósitos.

    É esperteza dela sim. Ela vai ter, ganhando a presidência, de conseguir o apoio de partidos, isso é o óbvio. No entanto ela também está contando que, como os partidos vêm transferindo as responsabilidades para os parlamentares eleitos, PERSONALIZANDO a atuação politica, então ela precisa apenas disso, de conseguir o apoio pessoal de parlamentares. E ela pode conseguir sim.

    É claro que é uma aposta perigosa, mas fazendo isso ela vai ter sim o apoio popular. E isso porque vestiu, pessoalmente, a camisa do povo brasileiro que não vê mais os partidos como dispensáveis. Para a população brasileiro os partidos passaram a ser um mal, por enquanto necessário e, desejavelmente, pelo menor tempo possivel.

    Não venha me dizer que é do povo a culpa disso, quem desconstruiu o papel dos partidos não foi a nação e sim os politicos, então que arquem com as responsabilidades.

    • Alberto Goldman 4 setembro, 2014   Reply →

      Alfredo, não esqueça que os políticos eleitos o são exatamente pelo mesmo povo que você diz rejeitá-los. E sem partidos como fica a democracia? Você conhece alguma?

      • Alfredo 4 setembro, 2014   Reply →

        Goldman, o que eu disse foi que o povo rejeita OS PARTIDOS. E essa rejeição se deve ao fato de que os partidos abdicaram de suas funções e as transferiram na integralidade para os eleitos. Isso faz com que o povo busque, de forma direta, exclusiva e PESSOAL o candidato eleito. A percepção do partido é apenas quanto aos conchavos, coligações, negociação de cargos. Não há neste país nenhum partido que exerça algum tipo de representação da SOCIEDADE. É isso que sempre traz à tona a tal DEMOCRACIA DIRETA que, por esperteza, a dilma estimula com o decreto criando os conselhos bolivarianos que, ao que parece, o parlamento faz de conta que reprova.

  • tunico 5 setembro, 2014   Reply →

    Caro Dr. Goldman, sua análise está adequada ao momento. O senhor tem muito mais experiência que nós simples mortais cidadãos. Mas ao ver as pesquisas que embora possam não refletir a realidade exata, dão um sinal ainda não muito claro do “Fora PT” . Dilma em SP ainda tem 23% contra 56% da oposição.A preferência por Marina em SP mostra a fraqueza do PSDB e de Aécio. Não deveria ser assim. Acho que Aécio deveria ter mais em nosso estado, que encarna melhor a oposição ao petismo. No campo nacional, me espanta Aécio perder feio em seu próprio estado para governador e Dilma estar muito perto dele para presidente. O “Fora PT” para ser mais completo precisa derrotar o lulo-petismo em todas as instâncias do poder ou seja, Executivo e Legislativo. Se for Marina a eleita em 2014, ela precisará governar com apoio legislativo e com apoio da maioria dos governadores dos estados. Espero que a estratégia do PSDB seja positiva a favor da governabilidade caso Aécio não ganhe, até por sobrevivência política. Não podemos deixar, em nome da democracia verdadeira, que o petismo ao ver que perderá, dê uma de PMDB adesista e se bandeie para o lado dela. A democracia representativa vive de situação e oposição. Assim deve ser. Não estou vendo outra oportunidade futura do Brasil reforçar sua democracia. Um PT adesista manobrando por trás um eventual governo Marina significa o fim da democracia representativa.

  • Angelina Ponte 15 setembro, 2014   Reply →

    Marina fala muito !Mas no caso dela de soluções utópicas, uma vez que , as apresenta mas não diz com vai realiza-las..É uma pregadora do que julga certo o que julga errado….Fala em nova forma de governar…. mas não diz com consistência como..o fará.. NÃO BOTO FÉ !

    Dilma é o que se vê e já se sabe :um lamaçal sem fundo, que afunda cada dia mais a democracia e a ética, nos envergonha e nos revolta,( claro ainda existe um quinhão de cegos e oportunistas torcendo pelo PT)

    E Aécio, tem o meu voto ,me representa,, mas sou obrigada a concordar que o PSDB dormiu muito tempo, desatento ao que vem acontecendo ( essa coisa de em cima do muro é verdade : desde que Lula assumiu e o PT mostrou a cara,nenhuma oposição ou protesto veemente se manifestou….).

    Pode ser que o Brasil tenha mesmo que passar por isso, para que todo o povo brasileiro desperte e a consciência se torne mais lucida…

    Tenho, contudo esperanças, que apesar de tudo, o Brasil ao longo do tempo, saia dessa…e que a Dilma e o PT se esfacelem..AMÉM

Leave a comment