Dilma é responsável

A respeito das denúncias de pagamento de propina na Petrobrás, conforme delação premiada de um de seus diretores, a presidente Dilma Rousseff, em entrevista ao Estadão, afirmou que se houve “sangria” ela já foi estancada. “Se houve alguma coisa, e tudo indica que houve, eu posso te garantir que todas, vamos dizer assim, as sangrias que eventualmente pudessem existir estão estancadas.”

Caros leitores leiam e interpretem comigo, se eu estiver errado me contestem.  Se as sangrias existiram, e segundo ela “tudo indica que houve”, e ela sabe que foram estancadas, é porque ela tinha conhecimento do que houve.  Foram estancadas por ela ou por alguém de seu governo, e ela soube.

Confessa que soube e que foram estancadas. Muito bem. E o que fez? Quem eram os servidores públicos que participaram das operações?  De quanto foi a sangria?  Quem recebeu esse sangue (o dinheiro desviado)?  A quem ele abasteceu?

Ela deixou tudo por isso mesmo?  Não levou avante qualquer investigação para esclarecer todo o processo criminoso?

Ela teve qualquer benefício pessoal material direto?  Parece que não.  Mas teve benefícios políticos diretos na cooptação da base de apoio partidário e parlamentar ao seu governo. Foi conivente por interesse político. Omitiu o fato criminoso e se omitiu de tomar as medidas devidas.

Pode ter cometido crime de responsabilidade.

You may also like

7 comments

  • Markut 9 setembro, 2014   Reply →

    O já famoso “não sabia de nada”, aprendido com o ventríloquo que a manobra , confirma a incompetência, omissão e cumplicidade , passível mais do que a rejeição à sua reeleição, mas a um processo por desídia e incompetência para o cargo.

  • Alfredo 10 setembro, 2014   Reply →

    Goldman, voce está certo sim. Não ha dúvidas de que ela (como está implicito na declaração) tomou conhecimento dos fatos e dos atos correspondentes.

    Penso eu que ainda não se pode afirmar que ela tinha cohecimento das falcatruas no periodo em que eram realizadas. Caso isso venha a se confirmar ela passa à condição de cúmplice, de coautora dos atos criminosos.

    Mas, voce sabe também que o Direito Administrativo é POSITIVO. O Agente público tem OBRIGAÇÃO de FAZER. Isso é o que decorre do artigo 37 da Constituição que determina à Administração Pública observar os principios da Legalidade, da Impessoalidade, da Moralidade, da Publicidade e da Eficiência. A sigla composta pela letras intiicais é bastante sugestiva: LIMPE !!! É a propria Cosntituição que exige LIMPEZA na administração pública !!

    Pois é Goldman, tambem a Lei 8112, que instituiu o Estatuto do Servidor Publico, determina a abertura, tão logo se apresentem os indicios, do competente Processo Administrativo com a finalidade de apurar os fatos e, consequentemente, estabelecer as punições previstas. Falo da improbidade administrativa que até os cegos conseguiriam ver praticadas no presente caso de corrupção na Petrobrás. E, estranhamente, apesar das declarações da presidente, não se tem conhecimento, até agora, da abertura de nenhum dos Processos Adminstrativos determinados pela Lei.

    Ora Goldman, tambem comete crime aquele que, tendo conhecimento do fato criminoso, deixa de noticiá-lo à autoridade competente. E, no caso em tela, como se trata de agente administrativo, a coisa é bem pior. A detentora da função administrativa tem, declaradamente, confessadamente, conhecimento dos fatos e, ainda assim, não dá seguimento ao processo legal.

    Os fatos, vistos dessa forma, são suficientes sim para a instauração de processo de impedimento da presidente da república.

    No entanto, sabemos que alguem sempre poderá alegar a “manutenção da governabilidade” pra sustentar o ato, desidioso, de deixar a sujeira debaixo do tapete. Isso foi o que aconteceu quando da denúncia do mensalão ! Por que não repetir agora ?

  • Vera 10 setembro, 2014   Reply →

    Uma presidentA que não explica fotos de tal relevancia ao seu povo não tem respeito pofr ele. Não pode pode governa-lo.

  • Ainda que foram estancadas, o que vai acontecer com os recursos que foram pelo ralo. Os 10 bilhões vão voltar para os cofres públicos? 10 setembro, 2014   Reply →

    Mais um prejuízo para os cofres públicos. Além de punir os culpados, voltará aos cofres os recursos desviados? Afinal de contas são mais de dez bilhões que vão pro ralo mais uma vez.

  • Josè Rento F Nascimento 14 setembro, 2014   Reply →

    Concordo a Dilma é culpada, e o PSDB, mais ainda, pois são verdadeiros expert em perder eleições, lembrem-se O Lula só chegou lá, graças a verdadeira incompetencia, e agora com todos esses escandalos, e uma outra candidata que representa a ‘VANGUARDA DO ATRASO. vão perder de novo, com essa conversinha de que temos as melhores cabeças, o melhor programa, isso nao vai ganhar, tem que ATACAR, ATACAR, mas como disse seu candidato que não vai ao ataque, então a gente se ferra de novo.

  • ASSIS PEREIRA 22 outubro, 2014   Reply →

    ONDE ESTÁ A GRAÇA FOSTER NESTE MOMENTO CRITICO PARA A PETROBRAS – SUMIU – NÃO VAI DEMITIR NINGUEM. CERTAMENTE VAI ESPERAR O FIM DAS ELEIÇÕES PARA COLOCAR NA RUA OS PETROLEIROS QUE VOTARAM NO AÉCIO, CASO A DILMA SEJA REELEITA.
    A Graça Foster e alta administração da Petrobras, diante das recentes delações premiadas envolvendo seu Diretor PRC e do Doleiro Alberto Yusseff já deveria ter estabelecidos procedimentos de compliance, através de seu Departamento Jurídico, montado num Plano de Ação no sentido de implementar medidas urgentes com a finalidade de mitigar potenciais danos financeiros a ser impostos a Estatal, decorrentes de possíveis ações de organismos internacionais, na esfera do Foreign Corrupt Practices Act 1977 (FCPA) e UK Bribery Act 2010 (UKBA).
    Os procedimentos de compliance deveriam ser estruturado ao rigor desses organismos internacionais de anticorrupção e montado na possibilidade de recuperação de valores que foram subtraídos da Petrobras, decorrente de ações e atitudes corruptoras de empresas envolvidas nos esquemas que veiaram a público pela operação lava jato da PF, sejam daquelas sediadas no Brasil (empreiteiras envolvidas nas obras do COMPERJ e RNEST) assim como as domiciliadas no exterior (ASTRA OIL, no caso da Refinaria de Pasadena e da holandesa SBM, envolvida no pagamento de propina a petroleiros, nos casos de afretamento de embarcação à Petrobras para desenvolvimento do Presal).
    O Plano de ação deve ser formulado, consubstanciado no impacto das leis anticorrupção internacionais Foreign Corrupt Practices Act 1977 (FCPA) e UK Bribery Act 2010 (UKBA) que alcançam a Petrobras e suas subsidiárias no exterior. Deve ser elaborados procedimentos de compliance considerando as diretrizes do Departamento de Justiça Americano e da SEC – Securities Exchange Comission, assim como a disposição Legal americana contida o FCPA – Foreign Corrupt Practices Act 1977 e dos fundamentos legais do Reino Unido – Ministério da Justiça Britânico, disposto no UKBA – UK Bribery Act 2010 e demais organismos da União Europeia que disciplinam ações anticorrupção.

  • ASSIS PEREIRA 22 outubro, 2014   Reply →

    CASO SBM – COMISSÃO DA VERDADE
    A Petrobras declarou não ter encontrado fatos ou documentos que evidenciem pagamento de propina a seus empregados no caso envolvendo contratos com a SBM OFFSHORE. O trabalho da Comissão pode ter sido contaminado pelo fato da Direção da Estatal não ter afastado imediatamente o principal acusado, o Diretor Figueiredo da área de Produção e Exploração. Por ser o executivo de maior poder nas articulações e gestão da principal Unidade de Negócio da PB e ser temido por toda a corporação, o relatório da Comissão pode não passar pela Comissão da Verdade.

Leave a comment