Culto à personalidade

Tenho especial sentimento de repúdio ao culto à personalidade.   Compreendo o respeito que se tenha a pessoas pela admiração que elas nos provocam quando realizam ações, sejam de ordem política, artística, cívica ou simplesmente que nos emocionam por qualquer razão.   É humano e um belo tributo à pessoa, que terá seu nome inscrito na história de um povo, de uma comunidade ou na lembrança de outro ser humano.

A meu ver isso basta!

O culto à personalidade, em vida ou após a morte, quaisquer que tenham sido suas ações, isto é, a elevação de um ser humano à categoria de ser superior, significa algo mais que respeito e  admiração.  Significa a mediocridade do cultor, a incompreensão das limitações e das fraquezas de qualquer ser humano, a inevitabilidade de ter mostrado, em sua vida, o bom e o mal.  Significa não procurar compreender situações concretas em que essa pessoa nasceu e viveu, a realidade de sua vida em sociedade, as suas relações com os demais seres e a conjuntura que lhe permitiu ser o que é, ou foi.

Via de regra, no campo da política e dos líderes políticos esse culto à personalidade se transforma em instrumento para manter e prolongar algum tipo de dominação que é exercida sobre pessoas mais simples e mais influenciáveis, em benefício de projetos políticos de poder.

Uma das primeiras experiências de minha vida política foi tomar conhecimento do mito à Stalin e da sua destruição.  Acompanhei a formação de mitos, maiores ou menores, em décadas de atividades, tanto no âmbito internacional, quanto no nosso país.   Lembro-me quando da visita que fiz a Moscou que me recusei – apesar da minha admiração – a ver a figura mumificada de Lenin em seu mausoléu.  Não fui ver nenhum outro e não vou ver o de Hugo Chávez, elevado a mito.   É esse uso político, esse culto à personalidade, que mais depõe contra os cultores e seguidores, como tem sido o culto à Lula, em vida, que tem retardado para o povo a compreensão sobre as suas dificuldades e as formas de superá-las.   Só serve para emocionar mentes tacanhas e  estender o poder de alguns que se dirão – como em casos semelhantes na história – os verdadeiros seguidores dos cultuados.

You may also like

5 comments

  • Brilanti goldman você é uma pessoa de uma intelectualidade sem comparação tenho por você uma admiração muito grande,pois saiba que você é pra mim um exemplo de pessoa e lide politico. Mim inspiro em você e sua sabias palavras, estive presente na sua palestra no diretorio estadual do nosso partido, onde mim sente honrado de esta ali presente na cala ocasião em que tive o prazer de ver sua pessoa pessoalmente pela primeira vez gostaria de ter ama outra oportunidade de esta com você pois queria poder conversa com você para mim dar algumas instruções e conscelhos pois quero iniciar minha vida publica, meu nome é José vandison de oliveira,tenho 19 anos sou filiado no diretorio municipal do zonal Jabaquara gostaria muito de ouvir sua opinião.

  • Armando Benetollo 11 Março, 2013   Reply →

    De pleno acordo.

  • Janos Kenez 11 Março, 2013   Reply →

    muito bem escrito! seguir fanáticamente, leva a matar outras pessoa que não compartilhem do mesmo pensamento…assim esse culto exagerado é o início de todos os males, instrumento de todas as ditaduras.

  • Antônio Sérgio Martins 11 Março, 2013   Reply →

    Goldman, seu texto, como outros, está replicado em Pitacadas.blog.br. 100% de concordância.

  • Marcos Daher 3 setembro, 2013   Reply →

    No curso de minha vida estive analisando o fato das pessoas colocarem no pedestal seus semelhantes, endeusando-os no meio artístico, político profissional ou ate mesmo entre amigos. E ao que parece as nossas fraquezas são depositadas nas forças da outra pessoa e como disse bem Goldman, humanos são postos em cargos como sendo seres superiores. Somos todos iguais, na terra ou no céu, o único que está em grau elevado de superioridade é Deus e seu Filho Jesus Cristo que vivem entre nós. E estes dois seres superiores estão vivos não apenas por um pensamento religioso ou teológico, mas de fato e verdade. E Deus que esteve aqui como homem, o criador e dono de todo o universo, o Rei dos Reis, a quem nos chamou de servo e Ele Senhor, lavou nossos pés e morreu numa cruz por nossos erros. Jesus sem culpa ou pecado algum, pagou com sua vida as nossas dívidas. Vejam estamos falando do nosso criador as quais todas as vidas a Ele estão submetidas hoje e amanhã. Aos homens devemos respeito por serem nossos irmãos, estejam eles de boas virtudes ou errantes, mas jamais reverências de realeza como constatamos em outros países. Só há um Rei, Jesus Cristo, cuja coroa de amor, misericórdia e humildade resplandece nos quatro cantos deste mundo. Dono do ar, sol e de todas as coisas imprescindíveis para nosso sustento e no entanto, ainda nos serve todos os dias apascentando nosso espirito com sua palavra e direção. Nos servos rastejantes na lama, somos honrados sim, por Deus não por méritos amor, aceitação e obediência e retirados do monturo diante dos homens e tudo para Sua honra e gloria. E no entanto, ainda assim, Ele nos diz que somos irmãos e não somos mais do que os outros, uma vez que a graça de Deus está sobre todos, religiosos, ateus, marginais, políticos, estudantes, trabalhadores e quaisquer lideres de igrejas, não sendo quaisquer um desses dignos de qualquer diferença, pois o manejo desta vida em tudo está submetido a permissão de nosso Pai celestial. Não somos nada, apenas passageiros em missão, cujo destino e fim de nossa viagem é o Reino de Deus.

Leave a comment