Com o fantasma do golpe Dilma acena com um golpe  

 

Dilma afirma que a oposição usa denúncias na Petrobrás para dar um “golpe” no País.

Isso me faz recordar o início da década de 1960.  Com a renúncia de Janio Quadros deu-se, após o veto militar para a sua posse e o acordo/conciliação para a mudança do sistema de governo (de presidencialista para parlamentarista) a posse na presidência do país  do então vice presidente João Goulart.  Pouco tempo depois Jango, como era conhecido o presidente, conseguiu a aprovação de emenda constitucional que faria o presidencialismo retornar como sistema de governo.  Passou a ser presidente com todos os poderes do cargo.

O seu período de governo foi muito tenso e tumultuado, com manifestações sindicais e populares pelas chamadas “reformas de base”, um conjunto de medidas que, de fato, permitiriam um sistema capitalista mais moderno, necessário ao desenvolvimento das forças produtivas.   A oposição  considerava essas reformas como sendo medidas socializantes, o prenúncio do comunismo, o fantasma para assustar a população, e acusava Jango de pretender dar um golpe para se manter no poder.  Com essa bandeira as forças reacionárias da sociedade, com apoio de amplos setores empresariais, da maioria da imprensa e da cúpula das forças armadas deram, elas sim, um golpe, depuseram o presidente e implantaram uma ditadura militar/civil que durou cerca de 20 anos.

Dilma acena com o fantasma do golpe.  Que golpe?   Onde estão as forças armadas?  Estão quietas nos quarteis.  Onde estão os interesses empresariais?   Os grandes, nos últimos anos, mamaram nas tetas do governo e enriqueceram às custas de grandes negócios financiados pelo aparelho público.  Onde estão os sindicatos?  Totalmente tomados e neutralizados pelo partido no poder que alimenta os seus dirigentes com benesses e cargos públicos muito bem remunerados.

Dilma cita as denúncias que hoje remoem as entranhas da Petrobrás.  São “denúncias” ou informações trazidas à luz por dirigentes da própria empresa, levados a fazê-las em face das investigações dos órgãos do Estado brasileiro com legitimidade para realiza-las?

A incoerência, a total confusão mental da presidente, não lhe permite ver que ao mesmo tempo que, nos programas eleitorais e entrevistas nesse período eleitoral, gosta de repetir que a “sua” polícia federal e o “seu” ministério público são os responsáveis por tirar a sujeira de debaixo do tapete, ela acusa a oposição de usar dessas revelações, feitas por gente de sua própria gang,  para articular um “golpe” no país.

E que golpe?  Como e com quem?

A oposição lutou em várias eleições para derrotar, democraticamente, esse partido que levou o país a uma situação de calamidade moral, política e econômica.  E continua lutando, agora, em 2014, também nas urnas, para que o povo brasileiro se veja livre da quadrilha que tomou conta do país.   Lula diz que está “de saco cheio” com as denúncias.  Na verdade é o povo que está “de saco cheio” dele.

Quando Dilma levanta o perigo do golpe da oposição, me faz lembrar o período de 1964.  Lá se acusava Jango de articular um golpe na democracia mas deu-se um outro golpe, em tese, para evita-lo, vindo dos acusadores.  Agora ela faz o mesmo, ainda que em posição diferente, no comando do governo.  Será que passa em sua cabeça um movimento de massas, dirigido pelo PT, para evitar que a oposição dê o “golpe”?  Ela vai considerar um “golpe” a eleição de Aécio Neves? Está acenando com um “contra golpe”?

Se assim pensa, vai dar com os burros n’água.

 

 

 

 

You may also like

9 comments

  • Eliane Sevi 11 outubro, 2014   Reply →

    Essa linguagem usada pela Dilma è propria de uma ex-terrorista !!!!

  • dorival donaire 11 outubro, 2014   Reply →

    Aproveito o espaço data venia} para apresentar duas sugestoes ao nosso candidato Aecio: convidar Romario e Joaquim Barbosa para os Ministerios dos esporte s e Juatiça.

  • Max Reis Alves 11 outubro, 2014   Reply →

    GOLDMANN , trata – se do comportamento de alguém que mostra um enorme despreparo para o cargo que jamais deveria ter ocupado . E o desespero típico de quem sabe o que representará para essa camarilha, o desaparelhamento da máquina pública, essa sim , sem precedentes na história deste Pais . Não venceram !!!!!

  • Jose Vastaparal 11 outubro, 2014   Reply →

    Sr Goldman, muito prazer em falar com voce.
    Muitas vezes as coisas sao tao simples que recusamos em enxerga-las.
    Voce já ouviu o termo : A MELHOR DEFESA É O ATAQUE”.
    Dia 26/10 é Game Over. Ou voces ganham ou voces perdem. Simples assim.
    Estao esper\ando o que para DESPEJAR SOBRE O POVO BRASILEIRO TODA A VERDADE SOBRE O PT.
    Voces estao na defesa, estao recuados. Eles estão BOMBARDEANDO.
    Daque a pouco vou achar que eles sao o ÚNICO PARTIDO DO PAIS QUE QUEREM ACABAR COM A CORRUPÇÃO, qdo na verdade eles são a própria CORRUPÇÃO.
    Siam da defesa e partam para o ataque. Claro que nao precisa ser debochado, mas existem uma infinidade de videos de delatam e difamam o PT.

    Meu amigo, vou citar-lhe uma frase muito simples: ACORDA TU QUE DORMES!!!
    Perca alguns minutos e veja estes videos:
    https://www.youtube.com/watch?v=csi-4DNCmcE
    https://www.youtube.com/watch?v=7JMeJOrSmW8
    https://www.youtube.com/watch?v=Pl5Tx95XWaM
    https://www.youtube.com/watch?v=zeNZ4VTzens
    https://www.youtube.com/watch?v=m319REXO_nc
    Voces acham outras infinidades de videos….

  • Markut 11 outubro, 2014   Reply →

    “A oposição lutou em várias eleições para derrotar, democraticamente, esse partido que levou o país a uma situação de calamidade moral, política e econômica. E continua lutando, agora, em 2014, também nas urnas, para que o povo brasileiro se veja livre da quadrilha que tomou conta do país.” (?).
    Permito-me discordar desta afirmação do blog:
    Na realidade, a oposição “sumiu” , cooptada no balcão de negócios da petralhada.
    Talvez, agora, depois de junho de 2013, ela tenha começado a se mexer, mas foi preciso a voz da rua e o seu lamentável vandalismo , para tirá-la do seu extranho torpor.
    No mais, a jogada do poste teleguiado, quanto ao “golpe” é o desespero de quem não consegue nem sequer disfarçar o assalto a que a nação foi submetida.
    O calendário está marcando dia 26/10/14 como data fatal para o necessário “basta” que a sociedade irá vociferar nas urnas.

  • Maggui de Broux 12 outubro, 2014   Reply →

    Concordo que estamos (Aecio) sendo muito “intelectuais” nesta campanha. O jogo do PT é de acusações e mentiras. Se não atacarmos como eles, o povo não entende a mensagem. O povo não está nem ai para numeros e percentuais.
    Já foi perguntado a ela sobre o dinheiro mandado para ajuda a outros paises e o q isso construiria para nosso povo? O gasto com embaixadas em paises q não necessitamos de representação e o q isso pagaria para nosso povo?
    Atacar com linguagem simples. Acusar, mesmo q seja injustamente!!

  • Renata 19 outubro, 2014   Reply →

    Sr. Goldman, o sr. sabe a que Dilma se refere – ao ‘golpe’ da mídia, que tem vazado seletivamente informações de um processo ainda em andamento, sem provas explícitas. O sr. sabe tanto quanto eu que não tem nada a ver com golpe de Estado, “ainda que em posição diferente”. Por isso não entendi a intenção do seu texto.

    • Alberto Goldman 19 outubro, 2014   Reply →

      Renata, pensei que tinha sido claro, com o exemplo de 1964. Acusar outros de preparar um golpe, que ela sabe inexistente, é preparar um e chamá-lo de contra golpe. O PT, se perder, não vai sair em silêncio. Vai tentar melar o jogo.

      • Renata 19 outubro, 2014   Reply →

        Nós eleitores nunca sabemos exatamente o que acontece nos bastidores, mas espero que o jogo seja democrático antes, durante e após as eleições. Se o PT perder, que aceite democraticamente como aceitou o PSDB nas vezes que perdeu. Afinal, voltará para uma posição de conforto: a oposição. Abraços democráticos

Leave a comment