A escolha do candidato a prefeito pelo PSDB

Estamos vivendo um momento dramático e decisivo na vida política nacional, em particular em São Paulo.

O PSDB, Partido da Social Democracia Brasileira, se formou a partir de líderes e bases políticas que, antes, no MDB e no PMDB, se constituíram em alguns dos principais ativistas, ideólogos e motores da transição democrática que levou à derrota da ditadura e o retorno à democracia. O objetivo era a constituição de uma agremiação política que pudesse responder aos novos desafios que se apresentavam à Nação, almejando edificar instituições republicanas representativas que pudessem reiniciar a construção de um regime de plena liberdade e legalidade institucional em que os anseios dos milhões de brasileiros pudessem se concretizar no campo da melhoria das suas condições de vida e de trabalho.

Fernando Henrique Cardoso, Franco Montoro, Mario Covas, José Serra, dentre os paulistas, foram alguns deles que, desde a sua juventude, puseram a sua capacidade e a sua vontade à serviço da pátria, do país, de seu povo. São e foram políticos na melhor acepção da palavra, homens que se dedicaram não a formar amplos patrimônios, mas a dedicar todos os seus esforços ao interesse público, ao coletivo.

Foi com esses que eu me integrei, há 20 anos quando, depois de quase 30 anos de MDB, PMDB e PCB, decidi me filiar ao PSDB. O objetivo para mim era, e é, claro: construir uma nova sociedade com mais igualdade, dignidade e progresso social e econômico para os milhões de brasileiros.  Ainda que com uma profissão que me daria tudo o que alguém possa almejar economicamente, decidi dedicar minha vida à política, isto é, trabalhar pela evolução da sociedade na direção de uma vida justa para todos. Isso é ser político, assim eu vejo a política e dessa qualificação eu me orgulho.

Assim o fiz e após mais de 40 anos de atividades políticas profissionais – deputado, secretário, ministro, vice-governador e governador de São Paulo – decidi, ao deixar esse último cargo, ser apenas um simples militante, sem mandato popular e sem cargos públicos, colocando minha história, experiência e conhecimentos para o mesmo objetivo a que dediquei toda a vida.

Sou membro hoje da direção nacional do PSDB, depois de ter estado nela por diversos mandatos, e olho com apreensão o caminho que será adotado pelo partido na atual disputa da prefeitura da maior cidade do país.

Três nomes se apresentam ao partido:

Ricardo Trípoli, veterano deputado, com ampla atuação no segmento de defesa do meio ambiente e da vida animal. Trípoli é um candidato com apoios importantes de lideranças históricas do partido;

João Dória Jr., que se qualifica não como político, mas como empresário e gestor, cujo sucesso econômico provém da criação de uma entidade privada, a LIDE, liderança empresarial, sob a sua direção que promove debates, palestras, conclaves, seminários, com líderes empresarias e políticos a respeito dos temas nacionais, nos quais os CEOs das empresas se inscrevem, se abastecem de informações e trocam ideias entre si.  A LIDE obtém seus recursos da contribuição dessas empresas.

João Dória Jr. é uma figura que, apesar dos seus dotes pessoais, não corresponde ao que esperamos de alguém que veja a cidade, o estado e o país como o local de ampla ação política, isto é, em benefício da totalidade da população. Sua vida de sucesso como empresário de eventos não justifica que possa a vir a ser o nosso candidato a prefeito e o prefeito da cidade.  Doria desqualifica os políticos – e supra qualifica os empresários –  sem se dar conta de que os políticos do seu partido foram os que reconstruíram a democracia e são os que enfrentam a brutal crise moral em que se encontra o país.  Ressalta que muitos políticos estão presos, sem se dar conta de que os maiores empresários do país também estão. Doria, a meu ver, não corresponde aos anseios de milhões de brasileiros que se aproximaram do PSDB por acreditar nele como uma esperança de dias melhores para a nossa cidade e para o país.

E Andrea Matarazzo, com um primeiro mandato político de vereador, mas com ampla experiência ao lado de Mario Covas no governo de São Paulo, de FHC no governo federal, de José Serra e Gilberto Kassab na Prefeitura de São Paulo, e de Geraldo Alckmin e de mim mesmo no governo paulista, sempre com atuação competente. Andrea, compreendendo a necessidade de conhecer a vida política local e a câmara dos vereadores foi eleito para a vereança, o que lhe permitiu entender o funcionamento de um sistema que se aproxima muito do parlamentarismo que o partido defende e a importância de um parlamentar para o funcionamento das instituições e para o conhecimento das necessidades da cidade.

Andréa Matarazzo tem o perfil apropriado para uma função de dirigir a cidade pela experiência de toda a sua vida e pelo fato de representar o que de melhor nesses anos produziu a política nacional através do PSDB. Ele veio se preparando durante anos, vivenciando a cidade de SP no seu dia a dia com os militantes, simpatizantes do partido e com a própria população, com eles construindo projetos e programas de importância para São Paulo, não só durante o seu mandato como também para o futuro exercício do mandato de prefeito.  Sua história nos governos do PSDB ao lado das figuras citadas lhe dá um lastro que ninguém tem. É um político sem atitudes imperiais, que ouve e avalia e tem com todos esses créditos na sua história, e amplo apoio político, a possibilidade de enfrentar os ataques no período da campanha eleitoral.

Além de tudo isso, Andrea Matarazzo se caracterizou na Câmara como o maior opositor de Haddad. E é dele que queremos nos livrar.

Nesse episódio eleitoral não está em jogo apenas a eleição paulistana. Está em jogo o partido que queremos e a sociedade que desejamos. Precisamos do apoio e colaboração das forças vivas da Nação, dos empresários e trabalhadores de todo o tipo, mas quem vai produzir as mudanças que a cidade devastada e o país destruído precisam serão políticos autênticos com compromissos populares e partidários. É assim que se constrói uma democracia digna desse nome, aqui ou em qualquer parte do mundo.

You may also like

23 comments

  • ary handler 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    E o Trípoli?

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Ary, bom deputado, mas limitado aos temas do meio ambiente e de defesa dos animais. Prefeito precisa muito mais

  • Peter de Camargo. 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    Olha se Andrea Matarazzo não der certo, uma saída viável será um nome à la Prestes Maia, um engenheiro da Poli, comprometido com o ideal democrático de uma cidade melhor para todos, ou de qualquer outro profissional comprometido com esses ideais de uma polis democrática e transformadora, ainda que escolhido por uma coligação com outros partidos. Vamos construir São Paulo, como se deve. Vc. Goldman é um nome. Há outros.

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Se o Andrea não der certo, não temos caminho claro à frente.

  • Marco de Campos - Marcão 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    Parabéns Governador pela clareza de pensamento e pontuacao de diferenças que , apesar de despercebidas para muitos , farão a diferença nesse processo da Capital .

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Bravo, Marcão.

  • BENEDITO LUIZ COSTA 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    Prezado Goldman,
    Sou um admirador de suas análises políticas que, geralmente, coincidem com o que penso.
    Sou também um admirador do Andrea, principalmente pela sua atuação no governo Kassab. Desnecessário dizer que votei nele na última eleição, para vereador.
    No entanto, desconheço sua atuação como vereador. Assim sendo, gostaria, de conhecer melhor essa sua atuação
    O senhor menciona ter ele “construído projetos e programas de importância para São Paulo” e que,”se caracterizou na Câmara como o maior opositor de Haddad”
    Gostaria, para decidir meu voto, que me desse algum detalhe sobre que projetos e programas são esses e qual foi, concretamente, sua atuação contra esse famigerado prefeito chamado Haddad.
    De antemão, agradeço sua atenção.

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Benedito, por favor, procure no site do Andrea Matarazzo O google ajuda.

  • Dawison 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    Andréa Matarazzo é uma nova opção para melhorar São Paulo.

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Dawison, mãos à obra para escolher o Andrea dia 28 nas prévias

  • Zélia Bergamin 15 Fevereiro, 2016   Reply →

    Vou orar e “torcer” muito pelo Andrea ! É um homem dígno, interessado na cidade e me comove demonstrando seu amor e orgulho por São Paulo! São Paulo precisa de um administrador bastante capacitado como Andrea, que vai ter muito trabalho para “consertar” as barbaridades do Haddad! ! Deus que nos ajude, e ilumine nosso querido Andrea!

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Zélia, procure filiados e nos ajude a elegê-lo na prévia do dia 28

  • Adalberto Eloy Bonsaglia 16 Fevereiro, 2016   Reply →

    Sr. Goldman, estou de pleno acordo com sua opinião.
    O Andrea é o mais capacitado realmente, só espero que o Alkmin não continue levantando a bandeira do Doria.

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Adalberto procure os filiados para votar no dia 28 no Andrea.

  • José Pereira 16 Fevereiro, 2016   Reply →

    Também eu acho o melhor nome para a Prefeitura de São Paulo, o de Andrea Matarazzo, sem sombras de dúvidas!
    O meu abraço ao Sr., bom dia!

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Então mãos à obra, José Pereira.

  • ELSA FUNARO 16 Fevereiro, 2016   Reply →

    EU SOU A FAVOR DA CANDIDATURA DE ANDREA MATARAZZO, TEM POSTURA, TEM PRESENÇA…SEMPRE ACOMPANHEI O TRABALHO DELE NA PREFEITURA DO KASSAB…PESSOA DINÂMICA, PARTICIPOU MUITO NA PREFEITURA DO KASSAB..ATÉ ACREDITO QUE O SUCESSO DO KASSAB NA PREFEITURA DE SÃO PAULO, ESTÁ DIRETAMENTE ACOPLADO A DETERMINAÇÃO E SUPERVISÃO DE ANDREA MATARAZZO NOS PROJETOS APRESENTADOS POR KASSAB. GOSTARIA DE PARTICIPAR DIRETAMENTE DA CAMPANHA PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO…COMO FAÇO?
    ELSA FUNARO

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Elsa, primeiro precisamos eleger o Andrea na prévia dia 28. Ajude-nos

  • Valtércio gomes da Nóbrega 16 Fevereiro, 2016   Reply →

    Permito-me a beber da lucidez de seus pensamentos. Concordo plenamente com seu raciocínio. Para o bem e para o mal, é necessário ser mais que um nome conhecido para vir a ser um “politico ” em seu sentido mais digno e amplo.

  • Hoje votaria no Trípoli. Andrea acho um pouco retraído,contido. Vejo mais experiência no Trípoli.
    Mas como sou muito seletiva, ainda há tempo p/
    analisar. Joao Doria, to fora!!!!!!

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Tripoli é um bom companheiro. Mas sua vida política sempre se restringiu ao meio ambiente e à defesa dos animais. Importante, mas pouco para um prefeito.

  • Aliete Quirino da Silva 16 Fevereiro, 2016   Reply →

    ola como militante tambem defendo o nome de Andréa Matarazzo por conhecer seu trabalho como secretario em SP,acredito que Doria poderia iniciar pela vereança assim poderia dar suporte ao nosso prefeito Andréa ,e depois disputar para deputado acredito que mesmo na vida politica precisamos iniciar em um cargo mais simples SP é uma cidade Estado , e vive um dos momentos mais” ridículos ” que ja vi em 40 anos que aqui resido precisa de um prefeito com conhecimento e experiencia .

    • Alberto Goldman 19 Fevereiro, 2016   Reply →

      Vamos em frente Aliete. Trabalho, muito trabalho até o dia 28.

Leave a comment