A economia em crise. O país vai de mal a pior

 

Será que a presidente Dilma aguenta até o final do próximo ano?  Ou melhor, será que o país aguenta?  Porque as coisas andam de mal a pior e a deterioração do quadro econômico se acelera.

O déficit do governo central – despesas maiores que receitas, sem contar o pagamento dos juros da dívida pública – em setembro foi de 10,5 bilhões de reais.  No ano passado, no período de nove meses havia um superávit – receitas maiores que despesas – de 54,8 bilhões e caiu esse ano para 27,9 bilhões.   Caiu quase 50%.  Quer dizer, as despesas cresceram muito mais que as receitas.  Isso se dá com um baixo nível de investimentos em obras.   Onde é essencial para o crescimento do país, o gasto é baixo.

Nessa conta não entra o pagamento dos juros da dívida pública.  A previsão de pagamento dessa conta é, em 2013, de 110 bilhões de reais.  .   Só falta computar os últimos três meses do ano, e até agora só economizamos 27,9 bilhões de reais para pagá-la.  Assim não teremos superávit suficiente para pagar os juros da dívida.   A consequência é que o governo tem de tomar mais empréstimos, pagando uma taxa Selic que se aproxima de 10% ao ano.

A produção industrial de setembro cresceu 0,7%.  Mas o 3º trimestre do ano fecha com queda de 1,4% em relação ao anterior.   Gasta-se muito, mas o que seria bom – produção de riquezas – nada.  A indústria continua em baixa e pode-se prever, para o trimestre, um crescimento negativo do PIB de toda a atividade econômica.

E não para aí.  Em outubro ocorreu o pior resultado da balança comercial para o mês desde 2000: foi negativo em US$ 224 milhões.  E o acumulado do ano é negativo em US$ 1,83 bilhões.  Observe-se que nos anos anteriores a balança comercial sempre esteve com saldos entre 15 e 40 bilhões de dólares.   Do jeito que as coisas vão podemos chegar no final do ano com saldo zero.   Além do que dependemos cada vez mais das exportações das comodities agrícolas e minerais.   Os manufaturados que já foram 60% das nossas exportações, são agora apenas um terço.

Além de tudo a inflação continua, teimosamente, no patamar dos 6,5% ao ano, com um aumento do custo de vida para as famílias acima desse índice. Com tudo isso e com as contas públicas do jeito que estão o Banco Central é levado a aumentar as taxas de juros promovendo uma retração ainda maior em nosso já tão magro crescimento econômico.

Tudo isso os investidores veem com preocupação o que os leva a paralisar investimentos. E sem esses não há crescimento.  Sem crescimento não se geram recursos para pagar dívidas nem para o governo investir.  É um círculo vicioso do qual é difícil sair.

O governo entra em desespero.  As eleições só se darão daqui a um ano, e a presidente e sua base de apoio já percebem que vai ser difícil aguentar até lá.  Por isso essa louca atividade de publicidade, de planos e programas que acabam não se realizando, no afã de produzir algo que possa dar novas esperanças para o povo.   Vai daí, também, a agressividade de Dilma e de seu criador.

Preparem-se, amigos, para as cenas que virão.  O desespero deles só tende a aumentar.

 

You may also like

4 comments

  • Francisco Berta Canibal 3 novembro, 2013   Reply →

    Isto estava previsto, a Nação está a deriva e os resultado econômicos poderiam ter sidos consolidados se o PT, tivesse entendido o plano Real. Agora remendos e ações em busca de investimentos e eventos não passa de mais uma propaganda enganosa desta turma de pilantras.

  • José Luiz Costa Pereira 3 novembro, 2013   Reply →

    Que é isso, Goldman? O seu primeiro parágrafo dá a entender ou que você está prevendo que Dilma vai jogar a toalha e renunciar, ou que vai haver um golpe para derruba-la. Acho que não são eles que entraram em desespero.
    Não me venha dizer que estou tentando defende-los, pois estou com Eduardo Campos e Marina, ou Marina e Eduardo Campos, portanto também estou na linha de que tenha que haver uma mudança, pois o PT está se tornando um PRI.

    • Alberto Goldman 3 novembro, 2013   Reply →

      José Luiz, que ela pode jogar a toalha, pode. O país não aguentar não significa golpe, significa sofrimento profundo, sem morte prevista.
      Quanto à dupla que pela qual você se entusiasma, quem sabe? Mas ainda não vi neles muita coisa de consistente. Por enquanto são charmosos, só.

  • Rodrigo 6 novembro, 2013   Reply →

    Prezado governador Goldman,
    Espero que o PSDB saiba levar essas informações ao povo na próxima campanha presidencial. Não podemos suportar mais quatro anos de PT no poder.

Leave a comment